Saldo da abertura de novas empresas já é 7,8% maior do que o obtido em 2007

O número de novas empresas no Estado entre os meses de janeiro até setembro foi de 38.093, frente a 19.042 empresas extintas. O saldo entre as novas empresas e aquelas que fecharam as portas foi de 19.051, um…

O número de novas empresas no Estado entre os meses de janeiro até setembro foi de 38.093, frente a 19.042 empresas extintas. O saldo entre as novas empresas e aquelas que fecharam as portas foi de 19.051, um aumento de 7,8% em relação ao balanço obtido no mesmo período de 2007. Os dados constam em relatório divulgado pela Jucergs (Junta Comercial do RS). Para chegar a este indicador, fatores como o bom momento da economia brasileira e as simplificações conquistadas pelo Simples Nacional podem ter sido os principais impulsionadores desse crescimento.

Segundo avaliação do assessor econômico da Fecomércio-RS (Federação do Comércio de Bens e de Serviços do RS), Carlos Cardoso, essa marca de mais de 38 mil novos negócio implantados no RS reflete, principalmente, a capacidade empreendedora do gaúcho. “A abertura de uma empresa deixa de ser algo complicado e passou a ser desmistificado. A volatilidade existente entre novos negócios e empresas extintas só comprova que as pessoas estão arriscando mais”, acredita Cardoso.

O assessor econômico ainda explica que a unificação do pagamento de diversos impostos através do Simples Nacional e as alíquotas reduzidas para micro e pequenas empresas pode ter incentivado a formalização de muitos estabelecimentos que atuavam na ilegalidade. “Certamente o Simples foi um estímulo para estes empresários. O resultado disso é a crescente abertura de novas empresas”, diz Cardoso, que destaca que, apenas em setembro, o número da abertura de empresas chegou a 4.244.

No relatório divulgado pela Jucergs cresceu também a abertura de filiais. No período de janeiro a setembro foram 4.968 novas filiais, um número 16,9% maior do que o obtido em 2007, quando as filiais chegaram a 4.249. Conforme Cardoso, esse ritmo de expansão deve permanecer até o final do ano, mas o economista prevê uma desaceleração causada pela crise financeira mundial, que certamente poderá assustar novos empreendedores.

Veja também

    Noticias

    Associados do Sindilojas POA tem opção de consultoria gratuita para retomada dos...

    Veja mais
    PesquisaNoticias

    Funcionamento das lojas após as enchentes é objeto de pesquisa do Sindilojas POA

    Veja mais
    Noticias

    Pronampe: 30 bi e carência de 2 anos para empreendedores do RS

    Veja mais
    Decretos e regrasNoticias

    Governo do RS atualiza lista com municípios em estado de calamidade e postergaç...

    Veja mais