Secretário de Desenvolvimento Econômico da Capital aponta ações do governo para estimular empreendedorismo e combater o comércio informal

Ricardo Gomes enfatizou a importância da relação entre iniciativa privada e governo para produzir riquezas que geram desenvolvimento para a cidade e empregabilidade

O Sindilojas Porto Alegre recebeu nesta terça-feira (14) o Secretário de Desenvolvimento Econômico de Porto Alegre, Ricardo Gomes. Foram debatidas algumas das bandeiras da Entidade, tais como o combate ao comércio informal e a redução e simplificação dos tributos, impostos e licenças. Gomes enfatizou a importância da relação entre iniciativa privada e governo para produzir riquezas que geram desenvolvimento para a cidade e empregabilidade.

O Secretário apontou quatro eixos principais de atuação da nova Secretaria de Desenvolvimento Econômico da cidade, que agora engloba a de Indústria e Comércio (Smic), a de Turismo e o gabinete de Inovação e Tecnologia. “Não vamos fazer ajustes fiscais com aumento de impostos. Vamos trabalhar para realizar simplificação, e desburocratização dos negócios, permitindo que novos players se insiram e outros entrem na nossa cidade; buscar investimentos e criar um ambiente de atração de investimentos; planejar, não economicamente, mas escutando a sociedade para pensar a infraestrutura necessária para que ela cresça; e fomentar um ecossistema de empreendedorismo, rodeando as empresas de atrativos para se desenvolverem”, afirmou.

O presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, também apontou a necessidade de entidades civis, representativas, governo e população atuarem em conjunto para que existam soluções mais rápidas e assertivas para as demandas existentes. “Precisamos do apoio de todos esses agentes e nos colocamos à disposição da prefeitura para que o comércio volte a crescer, estimulando a criação de uma economia cada vez mais forte para a cidade onde vivemos”, sinalizou.

Ricardo Gomes sinalizou a frase que está sendo primordial nas suas primeiras semanas como secretário municipal: “‘Tornar a cidade amigável ao empreendedor’, ou seja, tirar o governo do caminho para que as empresas possam se instalar com menos burocracia”. Segundo ele, existem dificuldades internas bastante significativas, mas a discussão de como facilitar a abertura de novos negócios, desenvolvendo economicamente a cidade é fundamental e precisa ser feita desde o início deste mandato.

Segundo o secretário, a fiscalização do comércio informal é um desafio complexo, que exige um envolvimento de diversos âmbitos da sociedade, como governo, órgãos de segurança, imprensa e população. “Apenas fiscalizar não resolve o problema. Debatê-lo, levantar propostas e trazer soluções é fundamental. Precisamos assumir um custo político onde o governo enfrente o problema de frente, pois é uma necessidade para minimizar ou acabar com a venda de produtos ilegais nas ruas da cidade. Lamentavelmente, temos uma mentalidade coitadista, ou seja, onde o problema é da vítima. Precisamos olhar para a frente e enfrentar o atraso da Capital”, sinalizou.

Gomes ainda falou sobre a importância de um centro de eventos em Porto Alegre: “Vamos viabilizar este empreendimento no primeiro terreno hábil que estiver disponível. Hoje temos 1131 projetos que estão esperando aprovação na prefeitura por diversos motivos. É uma burocracia enorme”. Com isso, a intenção da administração é atrair feiras, congressos e eventos que geram negócios e estimulam o empreendedorismo na cidade.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais