Sindilojas Porto Alegre lança manifesto pela revisão das regras para o comércio na bandeira preta

Aumento exponencial de casos nos últimos 15 dias mostra que o foco de contágio não está no comércio, aberto há mais de quatro meses

Diante da decisão do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, de suspender o sistema de cogestão no programa de distanciamento controlado nesta quinta-feira, 25 de fevereiro, o Sindilojas Porto Alegre se manifesta a favor da revisão das regras para o comércio na bandeira preta, classificação atual da região de Porto Alegre. 

Confira:

"O Sindilojas Porto Alegre manifesta sua consternação com todo o cenário enfrentado pelo Rio Grande do Sul com a pandemia do coronavírus. Entendemos a situação extrema em que se encontra a saúde, mas lamentamos profundamente o fechamento do comércio, repudiando que esta seja a solução para a contenção do contágio. 

A falta de planejamento ao longo de um ano é o que nos traz a este momento. Houve tempo para cálculos e projeções, bem como para o aumento das vagas nas UTIs e para compra de equipamentos ou materiais para o cumprimento dos protocolos. O aumento exponencial de casos confirmados e internações dos últimos 15 dias mostra que o foco não está no comércio, já que as lojas estão abertas há mais de quatro meses, com todos os cuidados necessários. 

O governo do Estado deveria ter atuado em uma campanha mais abrangente de conscientização da população, com clareza do que poderia acontecer e, agora, está acontecendo. As festas de fim de ano e Carnaval, ainda que não tenham sido organizadas de forma oficial, deveriam ter sido coibidas de maneira mais enérgica pelas autoridades. Fica claro que as proibições de aglomeração não bastaram e que outras medidas de fiscalização eram necessárias para que a população entendesse de fato os riscos e a sua responsabilidade. 

Há meses realizamos, ao lado de outras entidades empresariais, campanhas de conscientização em busca da atitude responsável da população. Estivemos disponíveis para contribuir, alertar e apoiar as autoridades para o cumprimento de todos os protocolos de segurança. 

Agora, os lojistas se veem obrigados a fechar novamente o atendimento ao público, decisão que prejudica ainda mais a economia do município, após um ano de grandes perdas. Neste sentido, alertamos o governo do Estado de que estamos às vésperas da segunda maior data do varejo, o Dia das Mães, seguida pelo início do inverno. O comércio não pode ser penalizado novamente. Serão 400 mil pessoas prejudicadas com o fechamento. Perdendo emprego, renda, sustento familiar. Perdendo negócios construídos ao longo de anos. 

Às entidades, parece uma decisão simples do governo em fechar o comércio. Ainda que a venda online seja um caminho possível, os pequenos lojistas, que são os maiores geradores de emprego do setor, não conseguem investir com a mesma força das grandes empresas. Assim, não terão outro caminho senão fechar suas portas, encerrando postos de trabalho. 

A responsabilidade de um governante é com o todo. Reforçamos que o Sindilojas Porto Alegre entende que a crise da saúde seja a questão mais latente, mas também é preciso cuidar da saúde dos negócios. O desemprego gerado agrava esse cenário. 

Sendo assim, solicitamos a revisão das regras para o comércio no modelo de distanciamento controlado em bandeira preta. Seguimos abertos ao diálogo para encontrarmos, juntos, soluções que permitam a abertura das lojas."

Acesse aqui o documento. 

 

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais