Sindilojas Porto Alegre participa da criação do Observatório Social da Capital

Na última segunda-feira (29), o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, esteve presente no lançamento do Observatório Social de Porto Alegre (OSPA). No evento, realizado pelo Observatório Social…

Na última segunda-feira (29), o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, esteve presente no lançamento do Observatório Social de Porto Alegre (OSPA). No evento, realizado pelo Observatório Social do Brasil (OSB) e pelo Fórum dos Conselhos e Ordens das Profissões Regulamentadas do RS (Fórum-RS), foram firmados termos de cooperação e de compromisso com diversas instituições que atuarão no desenvolvimento do projeto. O Observatório é uma iniciativa social, formado por um grupo de entidades e cidadãos voluntários que trabalha na fiscalização das políticas públicas de sua cidade, presente em 85 cidades e 15 estados. O início dos trabalhos do Observatório da Capital deve começar em breve.

O presidente do Observatório Social do Brasil, Áter Cristófoli, abriu o evento contando histórias de sucesso dos observatórios espalhados pelo País. Em Campo Mourão, no Paraná, em apenas um ano de fiscalização foi possível passar de R$ 21 milhões para R$ 1 milhão e meio nas licitações de medicamentos para a cidade. “Uso este exemplo porque prova a efetividade dos Observatórios. Prezamos sempre por falar diretamente com as prefeituras para que elas possam corrigir os erros ou problemas em licitações antes de qualquer coisa”. Cristófoli salientou que o Observatório de Porto Alegre será um dos primeiros que funcionará dentro do sistema de franquias organizado pela OBS. “Os primeiros Observatórios iniciaram somente pela nossa indignação, eles funcionaram porque a sociedade resolveu cuidar do que é nosso. Agora, com o passo a passo do sistema de franquias, o sistema é mais organizado e padronizado em todo o País. Pra mim, não há nada mais eficaz no controle da corrupção”, finalizou.

O Sindilojas Porto Alegre é uma das entidades que firmaram o compromisso de atuar como mantenedoras financeiras do projeto. Paulo Kruse, que discursou em nome das entidades mantenedoras, salientou a importância das instituições se envolverem com as contas públicas. “Temos muito a fazer no Brasil. A sociedade de forma organizada pode fazer muito pelo nosso País. Queremos que todas as cidades e governos sejam fiscalizados. Todos que estão aqui presentes querem que as coisas funcionem, e é por isso que estamos nos aliando para implantar o Observatório, que beneficiará a população da Capital.”

A assinatura do termo de compromisso aconteceu durante a abertura do III Encontro Estadual dos Observatórios Sociais do Rio Grande do Sul, na Faculdade Monteiro Lobato, na Capital. O encontro contou ainda com orientações sobre o funcionamento de um OS (aspectos legais, administrativos e éticos), além de palestras e apresentação de ações e resultados de outros Observatórios do Estado. No evento, estavam presentes ainda o Superintendente do Sindilojas Porto Alegre, Márcio Allegretti, e membros da diretoria do Sindicato: o vice-presidente de Relações de Trabalho, Sérgio Galbinski e o Conselheiro Fiscal, Carlos Klein.

O que é um Observatório Social (OS)

É um espaço para o exercício da cidadania, que deve ser democrático e apartidário e reunir o maior número possível de entidades representativas da sociedade civil com o objetivo de contribuir para a melhoria da gestão pública.

Cada Observatório Social é integrado por cidadãos brasileiros que transformaram o seu direito de indignar-se com atitude: em favor da transparência e da qualidade na aplicação de recursos públicos. São empresários, profissionais, professores, estudantes, funcionários públicos e outros cidadãos que, voluntariamente, entregam-se à causa da justiça social.

Como funciona o Observatório Social

Atuando como pessoa jurídica, em forma de associação, o Observatório Social prima pelo trabalho técnico, fazendo uso de uma metodologia de monitoramento das compras públicas em nível municipal, desde a publicação do edital de licitação até o acompanhamento da entrega do produto ou serviço, de modo a agir preventivamente no controle social dos gastos públicos. Além disso, o Observatório Social atua em outras frentes, como:

• A educação fiscal, demonstrando a importância social e econômica dos tributos e a necessidade do cidadão acompanhar a aplicação dos recursos públicos gerados pelos impostos
• A inserção da micro e pequena empresa nos processos licitatórios, contribuindo para a geração de emprego e redução da informalidade, bem como aumentando a concorrência e melhorando qualidade e preço nas compras públicas.
• A construção de indicadores da gestão pública, com base na execução orçamentária e nos indicadores sociais do município, fazendo o comparativo com outras cidades do mesmo porte.
• A cada 4 meses realiza a prestação de contas do seu trabalho à sociedade.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais