Trabalho e consumo: pesquisadora analisa a estreita relação entre os dois

Você já pensou que talvez esteja num ciclo vicioso de consumo e trabalho, no qual quanto mais você consome, mais você precisa trabalhar? E, o que é pior, esse ciclo é ativado justamente no seu tempo livre?…

Você já pensou que talvez esteja num ciclo vicioso de consumo e trabalho, no qual quanto mais você consome, mais você precisa trabalhar? E, o que é pior, esse ciclo é ativado justamente no seu tempo livre? De acordo com a publicitária Marilia Barrichello Naigeborin, que estudou a proposta do Movimento Devagar, que trata de como o tempo livre pode ser melhor utilizado, “hoje, por inúmeras razões, o tempo livre acaba sendo o tempo do consumo, o que empobrece a vida”. O escape do tempo livre muitas vezes acaba sendo o consumo, porque é uma zona segura. Além disso, as marcas se aproximam do discurso da vida equilibrada e do mundo com desenvolvimento sustentável, explica Marilia. O que as pessoas esquecem, porém, é que há muitas coisas simples, entre família e cultura, que não custam dinheiro.

Movimento Devagar

Através de seu estudo, desenvolvido em pesquisa na ECA (Escola de Comunicação e Artes da USP), Marilia buscou entender a proposta do Movimento Devagar. O tema do movimento se relaciona muito bem com a sociedade contemporânea, fortemente estimulada ao consumo, que nem sempre reflete a real necessidade das populações. “Às vezes você almeja uma vida simples, mas o dinamismo e a pressão do mercado acabam te exigindo outro estilo de vida”, diz Marilia. Segundo sua lógica, o dinamismo do mercado não permite que as pessoas reflitam sobre sua realidade e seus interesses, o que faz com que acabem seguindo suas rotinas, sem observarem que não é aquilo que lhes satisfazem. “Poucos conseguem se questionar: eu não mudo porque trabalho demais ou trabalho demais porque não mudo?”, explica Marilia, ressaltando os efeitos dessa rotina. Mas, por outro lado, a pesquisadora reconhece a incongruência embutida na filosofia do ‘devagar’: “Como ser devagar em um contexto contemporâneo veloz?”.

Juntando lazer, trabalho e estudo

Como, então, aproveitar o tempo livre? Marilia explica que para tirar o melhor proveito dos momentos que não são dedicados ao trabalho, é preciso se conhecer. Além disso, é interessante materializar o tempo livre e dar um sentido para ele. Essa materialização ainda deve acontecer segundo o conceito ‘ócio criativo’, do sociólogo Domenico de Mais, no qual lazer, trabalho e estudo se juntam. “Essas três áreas favorecem o equilíbrio do ser para que ele possa seguir dialogando entre o veloz e o devagar”, explica Marilia.

Veja também

    PesquisaNoticias

    Sindilojas Porto Alegre realiza pesquisa com empresários da capital sobre o uso d...

    Veja mais
    Noticias

    Prefeitura de Poa dá descontos em juros e multas

    Veja mais
    Noticias

    Apoio do Governo Federal para pagamento de salários

    Veja mais
    Sindilojas na MídiaNoticias

    Artigo: O varejo gaúcho, e agora?

    Veja mais