Um em cada três profissionais pede demissão por estagnação ou desestímulo

Levantamento aponta que 79% dos profissionais entrevistados já pediram demissão em algum momento da carreira

A estagnação e o desestímulo são as principais causas para os trabalhadores pedirem demissão nas empresas. É o que revela pesquisa realizada Page Personnel, empresa de recrutamento especializado de profissionais técnicos e de suporte à gestão, parte do PageGroup. De acordo com levantamento da consultoria, 18% dos consultados afirmam que pedem demissão por sentirem-se estagnados e 14% por sentirem-se desestimulados.

“Esses dois motivos de insatisfação no trabalho estão motivando a saída de cerca de um terço dos profissionais das empresas. O que podemos entender é que há um problema de liderança, de gestão. É papel do líder manter sua equipe motivada, buscando novos desafios para ela. Outra maneira que ajuda a evitar esse tipo de situação é manter um diálogo constante. Os gestores conseguem eliminar mal-entendidos e indicar aos seus subordinados a real importância que eles têm para a organização. É um procedimento simples, mas de extrema valia para alinhamento de expectativas”, explica Ricardo Haag, gerente executivo da Page Personnel.

A pesquisa, realizada com 400 profissionais técnicos e de suporte à gestão em agosto e setembro de 2014, detectou que 79% já pediram demissão em algum momento da carreira. Entre os fatores que motivam profissionais a pedirem para encerrar um ciclo de trabalho em uma companhia, 22% informaram que fazem o pedido quando encontram outra oportunidade. Estar insatisfeito com o salário representa 9% dos pedidos de demissão.

Há 8% que saem por ter baixa qualidade de vida. Quando o trabalho prejudica a saúde, 6% tomam esse tipo de atitude. Os demais motivos são tornar-me empreendedor (5%), não ter muitas atividades no dia a dia (4%), estar insatisfeito com os benefícios que recebe (3%) e sentir que o chefe não confia no funcionário, querer mais tempo para se dedicar à família ou aos estudos representaram 2%, cada.

O levantamento procurou saber dos entrevistados quais eram as situações mais irritantes no ambiente de trabalho. Uma gestão mal estruturada e sem planejamento é a que mais incomoda, para 21%. Falta de reconhecimento é motivo de irritação em 15% das respostas. Há 14% que apontaram a falta de feedback como motivador. Áreas de suporte pouco ágeis ou de baixa performance irritam 7%. Outros 7% indicaram a gerência saber menos de mercado do que o subordinado e equipe. As demais situações verificadas no estudo foram, com 6% cada, pouca infraestrutura, empresa de baixo desempenho e burocracias. Cobrança de habilidades ou conhecimentos que não são fornecidos por treinamentos na empresa somaram 4% e demissões que considerou injustas, 3%.

Veja também

    Noticias

    Sindilojas Porto Alegre tem reunião com o prefeito Sebastião Melo

    Veja mais
    Noticias

    Sindilojas POA acompanha lançamento de agenda legislativa na Fecomércio RS

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    FBV 2024 – o próximo passo está aqui

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 06/04 a 12/04

    Veja mais