Varejo brasileiro cresceu 7,5% em 2010, revela IDV

SÃO PAULO – As vendas do varejo brasileiro registraram crescimento de 7,5% em 2010. Trata-se do melhor resultado apresentado desde 2007. É o que revela o IAV (Índice Antecedente de Vendas), divulgado nesta…

SÃO PAULO – As vendas do varejo brasileiro registraram crescimento de 7,5% em 2010. Trata-se do melhor resultado apresentado desde 2007. É o que revela o IAV (Índice Antecedente de Vendas), divulgado nesta sexta-feira (28) pelo IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo). Somente em dezembro, as vendas registraram alta de 9,5%, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Este crescimento pode ser explicado pela conjuntura favorável para os principais fatores determinantes na decisão de consumo. De acordo com o estudo, os últimos dados divulgados pelo Banco Central mostram taxa de juros a pessoas físicas em sua menor média mensal desde o Plano Real, de 39,1% ao ano em novembro. Além disso, em dezembro, mais uma vez a confiança do consumidor alcançou seu maior patamar, desde que a FGV (Fundação Getulio Vargas) começou a realizar a medição. Já o mercado de trabalho segue aquecido, pois, em novembro, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) registrou nova mínima histórica para a taxa mensal de desemprego (5,7%). A situação de “pleno emprego” no País também vem estimulando um ciclo virtuoso de consumo.

Análise por setor

Na análise por setores, todos apresentaram expansão em dezembro, com destaque para bens não-duráveis (supermercados, hipermercados, farmácias, drogarias, perfumarias e alimentação fora do lar), cuja alta apresentada foi de 13,2%, frente ao último mês de 2009. Já o varejo de bens duráveis (móveis, eletrodomésticos, material de construção, entre outros), registrou expansão de 9,2% nas vendas em dezembro, enquanto o segmento de bens semiduráveis registrou alta de 8,2%, no confronto com o mesmo período de 2009.

Varejo em 2011

Em relação a este ano, os dados revelam uma expectativa positiva, já que a projeção de crescimento real das vendas é de 9,2% em relação ao primeiro trimestre de 2010. O segmento de bens não-duráveis deve registrar as maiores taxas de aumento em janeiro e fevereiro, de 14,6% e 15% respectivamente. Para bens duráveis, a previsão é de alta de 10,2%, no primeiro mês do ano, e de 12,9%, para o segundo mês. Apesar de não informar um indicador, o IDV afirma que o segmento de bens semi-duráveis também terá taxas de crescimento positivas no próximo trimestre.

Sobre o IAV

O IAV consolida a evolução das vendas efetivamente realizadas pelos associados do IDV, com o intuito de alcançar expectativas para os próximos meses. A metodologia consiste na ponderação dos números fornecidos pelas empresas de acordo com o porte, para que , assim, se alcancem indicadores como o volume de vendas e o faturamento nominal. O indicador permite ainda uma visualização do comportamento do mercado esperado para um período futuro de até três meses.

Veja também

    NoticiasMarketing

    Em busca do melhor ponto comercial

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Lajeado recebe a FBV Talks para debater o futuro do presente no varejo

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Café com Lojistas apresenta o significado do varejo e dicas do que está em alta ...

    Veja mais
    Noticias

    Reunião de Diretoria Ampla debate temas jurídicos relevantes ao comércio

    Veja mais