Varejo espera crescimento de 8,2% em maio

O IAV-IDV (Índice Antecedente de Vendas), estudo realizado mensalmente pelos associados do IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo), aponta um crescimento real nas vendas de 8,2% em maio, em relação ao…

O IAV-IDV (Índice Antecedente de Vendas), estudo realizado mensalmente pelos associados do IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo), aponta um crescimento real nas vendas de 8,2% em maio, em relação ao mesmo período do ano passado. Já para junho, o aumento esperado é de 5,9%, na mesma comparação. Em março, o indicador registrou crescimento de apenas 1,3%. Parte desta queda deve ser creditada ao efeito calendário, dada a diferença de dois dias úteis entre março de 2013 (sem Carnaval) e 2014 (com). Outro fator é o crescimento da taxa de inflação, principalmente no segmento de alimentação, o que influencia negativamente nas expectativas de compras do consumidor.

Em relação às expectativas de vendas para abril, os associados apontam alta de 7,2% em relação ao mesmo mês de 2013, influenciada pela Páscoa.

O varejo de não-duráveis, que responde em sua maior parte pelas vendas de super e hipermercados, foodservice e perfumaria, apresentou queda de 6,9% em março, fortemente influenciado pelo efeito calendário do Carnaval e a inflação verificada no segmento de alimentos e bebidas (+1,92% em relação a fevereiro de 2014). Porém, a expectativa de crescimento para este e os próximos dois meses para o segmento é de 5,4% em abril, 6,4% em maio e 4,9% em junho.

Já o setor de bens semiduráveis, que inclui vestuário, calçados, livrarias e artigos esportivos, teve desempenho moderado em março, com alta de 3,2%. Em relação aos próximos meses, a expectativa é de crescimento de 10,4% em abril, 11,5% em maio e 8,5%, em junho, sempre em comparação aos mesmos períodos do ano anterior.

Com a manutenção das alíquotas reduzidas do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para a linha de móveis e linha branca, os associados divulgaram que o segmento de bens duráveis atingiu alta de 11,3% em março. Para abril, maio e junho, a expectativa é de alta de 7%, 7,9% e 5,2%, respectivamente.

“O primeiro trimestre de 2014 apresentou indicadores expressivamente superiores aos de 2013, com média de crescimento do IAV-IDV de 5,2% contra 2,2% no ano passado, sugerindo perspectivas melhores para o varejo nacional neste ano, ao menos pelas perspectivas de nossos associados. Emprego, renda e crédito, embora com tendência de taxas de crescimento mais baixas, ainda não indicam um obstáculo para um crescimento superior ao de 2013. Neste mês, o cenário econômico nacional também foi marcado pela continuidade do aperto monetário do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que se reuniu nos dias 1º e 2 e decidiu pelo aumento da taxa básica de juros em 0,25 p.p., passando de 10,75% para 11% ao ano. Foi o nono aumento consecutivo na taxa Selic, maior nível desde novembro de 2011”, analisa o presidente do IDV, Flávio Rocha.

Veja também

    PesquisaNoticias

    Na comparação com o Dia dos Namorados de 2023, 17% dos lojistas dizem ter vendid...

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra no Centro da capital

    Veja mais
    Decretos e regrasNoticias

    Créditos do BNDES: empresário, você tem acesso a este recurso

    Veja mais
    PesquisaNoticias

    Sondagem do Sindilojas POA prevê Dia dos Namorados tímido para o comércio na ca...

    Veja mais