Varejo virtual representa 17,1% das vendas de eletroeletrônicos

O varejo digital já representa um percentual significativo das vendas totais de algumas categorias de produto. Uma pesquisa promovida pela Conversion indica que 17,2% e 6,1% dos eletroeletrônicos e itens de…

O varejo digital já representa um percentual significativo das vendas totais de algumas categorias de produto. Uma pesquisa promovida pela Conversion indica que 17,2% e 6,1% dos eletroeletrônicos e itens de informática, respectivamente, são comercializados pela internet. Os dados referem-se aos resultados apresentados pelo setor em 2012.

A importância das vendas pela internet para estes artigos cresceu nos últimos dois anos. A participação na categoria de eletroeletrônicos, que inclui eletrodomésticos, áudio e vídeo, cresceu 4,2 pontos percentuais – de 13% para 17,2% -, enquanto em informática, que abrange computadores, impressoras e outros acessórios, o aumento foi de 0,8 pontos passando de 5,3% para 6,1% em relação a 2010.
Segundo Diego Ivo, CEO da Conversion, tal crescimento é justificado pelas vantagens de preço e pela variedade de produtos para as compras feitas pela internet. “Assistimos a entrada de muitos novos players de e-commerce nos últimos anos com propostas muito atrativas para o consumidor. A próxima fase será marcada pela consolidação do setor em busca de rentabilidade” afirmou Ivo por meio de nota.

Os dados da pesquisa foram obtidos a partir do cruzamento e análise de informações da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee)e da Consultoria e-Bit. Outro ponto que destaca o potencial de vendas desses artigos é apurado semestralmente pelo MercadoLivre, empresa líder no segmento de e-commerce na América Latina. Ranking divulgado na última semana apontou que artigos de informática e os eletroeletrônicos ficam em terceiro e quarto lugar, respectivamente. Atualmente eles perdem apenas para a venda de celulares e acessórios para veículos. Esse ranking é baseado nos 6 milhões de anunciantes únicos e os 17 milhões de clientes que adquirem produtos pelo site do MercadoLivre.

Outra explicação plausível para que o indicador apontasse os 17,1%, em especial nos eletroeletrônicos pode ser a precificação. Como o varejotenta atender o consumidor em todas as suas necessidades de compra, por vezes, as empresas preferem conceder mais descontos aos consumidores que preferem o meio on-line para as suas compras. Além disso, o consumidor é atraído pelo frete grátis e pelo prazo de entrega, por vezes mais curto que o do varejo físico.

A tendência é que esses indicadores continuem a crescer e não apenas nas categorias de informática e eletroeletrônicos, uma vez que a perspectiva para todos os nichos de atuação é que o setor atinja um faturamento de R$ 28 bilhões até o final do ano, o que representa um crescimento nominal de 25% em relação a 2012.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais