Vendas de smartphones e tablets crescem mais que 100% em 2013

“A expansão vai continuar porque a classe C não entrou de vez no setor. Ela vai nos dar oportunidade de crescer porque adquire o dispositivo mais básico e, depois de um ano, vai comprar um…

“A expansão vai continuar porque a classe C não entrou de vez no setor. Ela vai nos dar oportunidade de crescer porque adquire o dispositivo mais básico e, depois de um ano, vai comprar um melhor.”

Graduação à distância

Com a educação se consolidando como investimento prioritário para os brasileiros, a graduação à distância deve crescer 15% em número de matrículas em 2013. A estimativa é da Abed (Associação Brasileira de Ensino a Distância).

Em pesquisa feita em maio pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), para conhecer as prioridades dos jovens, a educação foi o item mais citado pelos participantes (85,2%), que tinham entre 15 e 29 anos.

O diretor da Abed, Luciano Sathler, explica que, ao se tornar indispensável, o setor não foi afetado pelo crédito mais caro ou pela inflação alta. A ascensão da classe C, afirma, ajudou a garantir o resultado.

“O brasileiro está se endividando para estudar. Quando há avanço nas classes, as pessoas percebem que, após suprir necessidades básicas, podem mirar mais alto.”

O número de matrículas na graduação à distância aumentou de 5.359 em 2001 para 1.113.850 em 2012, segundo o Censo da Educação Superior de 2012, realizado pelo Inep.

A modalidade cresce em ritmo superior ao do ensino presencial. Entre 2011 e 2012, as matrículas da graduação à distância cresceram 12,2%, contra 3,3% da presencial. A expectativa da Abed é chegar a cinco milhões de alunos da graduação à distância em 2022.

A esperança de crescimento ficou clara na expansão de empresas do setor. “Tudo o que está acontecendo na bolsa de valores, a abertura de capital do Grupo Ser, a fusão de Anhanguera e Kroton estão baseados no crescimento esperado”, afirma Sathler.

Estima-se, segundo a Abed, que 30 milhões de pessoas ainda possam aderir ao ensino à distância. São brasileiros com idade média de 28 anos, que trabalham e não conseguiram fazer o ensino superior no período normal, entre os 18 e 24 anos.

Pela flexibilidade dos cursos, que permitem o estudo em horários alternativos, e os preços menores, esse tipo de graduação agradaria aos trabalhadores.

TV por assinatura

O mercado de TV por assinatura deve crescer 13% em número de assinantes neste ano, segundo o presidente da ABTA (associação de televisão por Assinatura), Oscar Simões.

De acordo a associação, em outubro do ano passado havia 15,7 milhões de usuários, diante de 17,7 milhões em outubro de 2013.

Para Simões, o resultado é consequência da entrada de novas empresas no mercado, o que tornou os preços mais competitivos e melhorou o custo-benefício. “Pelo preço de um par de ingressos inteiros no cinema, você compra um pacote de TV por assinatura”, diz.

Um estudo sobre confiança do consumidor, realizado entre agosto e setembro pelo instituto de pesquisa Nielsen, indica a preferência. Quando perguntados “Quais das seguintes medidas você tomou para reduzir despesas domésticas?”, 58% dos entrevistados responderam “reduzir entretenimento fora do lar”, enquanto apenas 23% disseram “reduzir o entretenimento no lar”.

Simões afirma que a inflação e o endividamento maiores não afetaram o setor porque o nível de emprego não caiu – ao contrário, em dezembro registrou-se a menor taxa de desemprego na série histórica do IBGE. “O produto é sensível. Se houver queda na renda, vai prejudicar. Enquanto a atividade econômica estiver no pleno emprego, a ameaça é menor.”

As expectativas para os próximos anos é que o crescimento se mantenha, apesar das novas ofertas de vídeo, como o download de filmes.

“As novas formas não podem ser ignoradas, mas ainda são complementares. Com toda essa expansão, a TV por assinatura está só em 30% dos lares. Há espaço para crescer”, afirma.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais