6 dicas e alguns conselhos para o gerenciamento do stress empresarial

Dizem que o stress é algo inevitável, sendo portanto atávico à nossa existência. Existem estudos antropológicos que confirmam a relação direta da evolução da humanidade com o stress, servindo como mola…

Dizem que o stress é algo inevitável, sendo portanto atávico à nossa existência. Existem estudos antropológicos que confirmam a relação direta da evolução da humanidade com o stress, servindo como mola propulsora ao progresso e o desenvolvimento.

Como é fácil observar algo tão difícil de enfrentar, (e que por vezes atua de forma tão massacrante), sob uma perspectiva ampla e isenta.

O duro mesmo é dar conta disso no dia a dia. E neste contexto, caso seja você um empreendedor em um país com tantas dificuldades para o ambiente de negócios como o Brasil, onde a burocracia que se elimina é rapidamente substituída por novas e mais complexas exigências… bem, recomendamos cautela e caldo de galinha. Uma receita que se traduz em uma cultura que envolva cuidados, prevenções e um constante alinhamento realista de perspectivas.

E desta forma, vivendo o stress de enfrentar tanto stress no cotidiano empreendedor, resolvemos destacar abaixo algumas dicas que podem ser bastante úteis. Vamos lá:

1. Planejamento: Não basta concebê-lo de forma tecnicamente perfeita, cuidadosa e muito bem pensada. Ele precisa ser cumprido, e para isso, estar absolutamente alinhado com a realidade do seu negócio e do seu mecanismo de gestão. Ele evitará sobressaltos, reduzirá o impacto de surpresas desagradáveis, e garantirá a solidez do seu desenvolvimento com menor desgaste emocional e melhor eficiência econômica;

2. Tente trazer para o seu entorno pessoas que carreguem no seu perfil um misto de competência, capacidade de trabalho e forte dose de bom senso. Se esforce nessa busca, e se por um acaso ao ler isso achou que se trata de um perfil profissional pouco ambicioso, saiba que na “vida como ela é” terá dificuldades para encontrá-los. Os outros, os perfeitos, implacáveis e imbatíveis, bom… poderão ser facilmente encontrados na literatura da auto-ajuda corporativa ou em discursos de palestrantes motivacionais, e nenhum outro lugar (tenha certeza disso);

3. Fortaleça a “instituição” da sal empresa, por menor e mais enxuta que seja. A saúde dela (e consequentemente a sal saúde psíquica) não pode depender apenas da boa vontade e da atitude das pessoas. Aqui, os controles internos, as métricas, e os mecanismos de gestão fazem o trabalho de proteger a empresa de seus próprios operadores, incluindo os sócios. Esta é a linha mestra do receituário da boa governança;

4. Mantenha a sua documentação rigorosamente em ordem e por mais chato que seja, cumpra pontualmente com as obrigações que a burocracia oficial exige. Isso é essencial no ambiente em que estamos inseridos, onde o empresariado é desunido e não representa um bloco de pressão para conter o Estado ineficiente, bravo, caro e exigente. (Trata-se apenas de uma realidade nacional com a qual temos de lidar);

5. Execute uma gestão de caixa cuidadosa, precisa e relativamente conservadora. Para isso se esforce em ter sempre a mão informações realistas e completas;

6. Saiba criticar as suas próprias previsões. Neste caso maximize aquilo que pode não dar certo e minimize os êxitos esperados. O resultado no médio e longo prazo pode surpreender positivamente.

Por último, cuide da sua saúde. Não se permita ser sedentário, não se esqueça dos seus exames periódicos, não deixe de se divertir, e jamais se leve excessivamente a sério.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais