Dicas para atrair clientes de acordo com o consumidor

A maneira ideal de atrair clientes é sendo seu defensor. Michael Hyatt, escritor do livro bestseller Platform: Get Noticed in a Noisy World (sem tradução para o português), conta que as mídias sociais mudaram o conceito de como atrair os clientes. Ele aconselha sempre atualizar as redes sociais da empresa. Chris Cooper é um exemplo […]

A maneira ideal de atrair clientes é sendo seu defensor. Michael Hyatt, escritor do livro bestseller Platform: Get Noticed in a Noisy World (sem tradução para o português), conta que as mídias sociais mudaram o conceito de como atrair os clientes. Ele aconselha sempre atualizar as redes sociais da empresa.

Chris Cooper é um exemplo de construção de uma plataforma. É o dono e fundador da Eldercare Advocates, empresa de consultoria e gerenciamento de cuidado ao idoso. Cooper é um ferrenho defensor dos consumidores em busca de tratamento médico mais barato. Sua empresa faz planos de saúde a longo prazo para adultos com necessidades especiais e para idosos.

Sua carreira começou em asilos e hospitais. Após terminar o treinamento paramédico e a faculdade de enfermagem, Cooper foi em busca de seu interesse em ajudar pessoas a financiar seu tratamento médico. Ele descobriu que tratamento a longo prazo provoca uma devastação financeira para muitas pessoas, especialmente idosos.

Cooper também descobriu que as dicas dos consumidores são uma das maneiras mais fáceis de publicidade positiva. O empresário já deu entrevista para as emissoras norte-americanas CNBC, no programa Power Lunch, NBC Today, e CBS no programa Morning Show. Ele é regularmente citado no “The Wall Street Journal”, e demais jornais e revistas dos Estados Unidos.

Veja dicas para atrair clientes de acordo com os consumidores:

#1. Chamariz.

Promova ações de relacionamento, de entretenimento, faça eventos temáticos, chame o cliente para dentro da loja.

#2. Abaixo à ostentação.

O uso de materiais sustentáveis e de custo relativamente baixo é muito bem-vindo neste momento. Saem de cena o exagero de iluminação, metais e acrílico dos displays, e entram materiais recicláveis e menos exuberantes. O ideal é que a mudança de conceito seja pensada para fortalecer o posicionamento da marca – e que venha com toques de inovação e tecnologia.

#3. O humor sempre vence.

Uma proposta de marketing bem-humorada, no mínimo, chama a atenção. Ainda mais quando o mundo vive um momento de grande instabilidade. Além de refrescar o espaço, a estratégia custa um décimo do preço de uma reforma completa e pode ser realizada em pouco tempo. Ele observa que os tons de amarelo, laranja e vermelho estão em alta, porque são alegres e ligados à prosperidade.

#4. Pode pegar.

Se o cliente está reticente, que tal eliminar as barreiras de acesso à loja? Diga não aos vendedores com ar de superioridade, aos balcões e, se for o caso, até à porta de entrada. Quanto mais o produto puder ser tocado, maior será a chance de venda. Um exemplo clássico, e inspirador nos dias de hoje, é a mesa de experimentação instalada nas lojas da rede O Boticário, que permite ao cliente usar qualquer produto sem ser incomodado.

#5. Comunicação direta.

A loja deve usar a linguagem e os ícones de identificação dos produtos e setores de acordo com o perfil dos clientes que atende. É preciso adotar signos que eles reconheçam como reais. Não basta ser apenas bonito, deve ser eficiente. Uma boa saída é optar pelos mesmos ícones adotados no computador, reconhecidos por todos os consumidores.

Fonte: Forbes Brasil

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais