Governo aponta 2,55 milhões de vagas em 2010

Ainda sem números finais, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, adiantou ontem que foram criados 2,55 milhões de empregos com carteira assinada em 2010. Concretizado, o número será recorde para o mercado de…

Ainda sem números finais, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, adiantou ontem que foram criados 2,55 milhões de empregos com carteira assinada em 2010. Concretizado, o número será recorde para o mercado de trabalho brasileiro. – Vão ser 2,55 milhões de empregos formais gerados num ano – afirmou Lupi em entrevista ao programa de rádio Bom Dia, Ministro.

O último número divulgado oficialmente pelo Ministério do Trabalho apontou criação de 2,544 milhões de empregos formais até novembro. Na ocasião, o ministro disse ter meta de 3 milhões de para 2010: – Há perspectiva de crescimento muito forte neste ano, gerando a expectativa de 3,5 milhões de empregos formais em 2011.

O número apresentado por Lupi para o ano passado levantou dúvidas. Para alcançar a marca de 2,55 milhões, o ministro utilizou informações que só costumam ser atualizadas pelas empresas no início do ano, mas que extraordinariamente foram incluídas antecipadamente no último trimestre de 2010.

Meses de dezembro costumam reduzir o volume total de empregos com carteira, porque o período é marcado por dispensa de temporários e poucas contratações. Nos sete primeiros anos do governo Lula, houve redução média de 378 mil empregos nos meses de dezembro (diferença entre demissões e contratações). Ainda que o mercado de trabalho esteja aquecido, dificilmente dezembro de 2010 apresentará número positivo. Se isso ocorrer, será inédito no governo Lula.

Veja também

    Noticias

    O público 60+ consome e precisa ser melhor atendido

    Veja mais
    Noticias

    O Sindilojas Porto Alegre é finalista do Top de Mkt ADVB/RS 2024

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades desta semana para as obras no Centro da capital

    Veja mais
    PesquisaNoticias

    Vendas de eletrodomésticos típicos de frio estão em alta

    Veja mais