Queda nos preços do atacado faz com que IGP-M desacelere na primeira divulgação de dezembro

Após período de sucessivas altas, a variação do IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) mostrou um primeiro sinal de desaceleração, ao variar 0,14% no primeiro decêndio de dezembro. A avaliação…

Após período de sucessivas altas, a variação do IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) mostrou um primeiro sinal de desaceleração, ao variar 0,14% no primeiro decêndio de dezembro. A avaliação anterior divulgada pela Fundação Getulio Vargas havia registrado 0,80%. O índice é conhecido por ser o termômetro usado no reajuste dos preços dos aluguéis. Em 12 meses, já acumula uma alta de 10,10%.

Na composição deste índice, foi o atacado o principal influenciador para a desaceleração de preços. O Índice de Preços por Atacado (IPA) variou 0,04% ante 1,01% do período anterior. O índice referente a Matérias-Primas Brutas registrou variação de 1,31%. No mês anterior, a taxa foi de 1,04%. Os itens que mais contribuíram para a trajetória de aceleração deste grupo foram: tomate (-8,22% para 62,06%), soja (em grão) (-1,16% para 0,65%) e suínos (-6,82% para 2,14%). Em sentido descendente, destacam-se: minério de ferro (19,28% para 5,19%), arroz (em casca) (2,32% para -6,09%) e laranja (8,12% para -5,10%).

Na variação de preços ao consumidor, o IPC teve variação de 0,36%. Conforme os números da FGV, seis das sete classes de despesa tiveram acréscimos em suas taxas de variação. Os destaques ficaram por conta dos grupos Alimentação (0,12% para 0,36%) e Habitação (0,26% para 0,39%). Na primeira classe de despesa, as maiores contribuições partiram dos itens: hortaliças e legumes (-6,24% para 5,08%), laticínios (-0,04% para 0,97%) e restaurantes (0,34% para 1,44%). Na segunda, os destaques foram os itens: tarifa de eletricidade residencial (0,06% para 0,44%) e profissional para reparos de residência (0,37% para 1,67%).

Também apresentaram acréscimos os grupos Vestuário (0,63% para 0,93%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,43% para 0,58%), Educação, Leitura e Recreação (0,26% para 0,38%) e Despesas Diversas (-0,14% para -0,09%). Vale mencionar os itens: calçados (-0,49% para 0,57%), dentista (0,06% para 0,88%), curso de língua estrangeira (0,04% para 1,56%) e mensalidade para TV por assinatura (-0,47% para 1,30%). Apenas o grupo Transportes (0,12% para 0,07%) apresentou desaceleração. Nesta classe de despesa, o destaque foi o item gasolina, cuja taxa passou de 0,07%, na apuração anterior, para -0,19%, neste primeiro decêndio.

Veja também

    Noticias

    Sindilojas Poa prestigia solenidade de passagem de comando em Batalhão da PM

    Veja mais
    Noticias

    MPRS lança plataforma para facilitar a inserção de jovens no mercado de trabalho

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades desta semana para as obras no Centro da capital

    Veja mais
    Noticias

    Cultura organizacional é foco do debate no Varejo Movimento

    Veja mais