Use o 13º para pagar as dívidas

A primeira parcela do 13º salário chega hoje para muitos trabalhadores com uma dúvida: o que fazer com o dinheiro. Especialistas são unânimes em afirmar: se você está endividado, pague as…

A primeira parcela do 13º salário chega hoje para muitos trabalhadores com uma dúvida: o que fazer com o dinheiro. Especialistas são unânimes em afirmar: se você está endividado, pague as dívidas.

Recuperar crédito é o melhor presente que você pode se dar. Assim poderá pensar em investir em 2011. E não esqueça que é preciso separar dinheiro para impostos e gastos tradicionais a partir de janeiro.

Conforme levantamento do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Econômicos (Dieese), o 13º salário deve injetar R$ 102 bilhões na economia do país. Cerca de 72 milhões de pessoas, entre trabalhadores e beneficiários da previdência, devem receber o salário extra, que tem a segunda parcela paga até 20 de dezembro. – O bom senso diz, não precisa nem ser economista, que o mais importante é pagar as dívidas. Os juros estão muito altos. Enquanto que, se a pessoa deixar o dinheiro na poupança ganhará 6% ao ano, o cartão de crédito consome 12% ao mês – compara o professor da Universidade de Caxias do Sul (UCS), Moisés Waismann.

Quem não consegue pagar todas as dívidas com o valor recebido com o 13º deve tentar renegociá-las. Comece pagando as dívidas com juros maiores.

Como usar

– Pague suas dívidas. Se o valor não for suficiente para quitá-las, ao menos, pague uma parte e renegocie o restante.

– Comece pagando as que têm juros maiores. Coloque todas as suas dívidas numa planilha e eleja quais são as que ocupam a maior parte do seu orçamento. Essas serão as prioritárias no pagamento. Cartão de crédito e cheque especial estão no início da fila.

– Com as dívidas pagas, volte seu planejamento aos gastos contratados para o início do ano: férias com a família, IPTU, IPVA, material escolar dos filhos. Pense em quanto do seu salário normal precisará despender para essas despesas e quanto você precisará guardar do 13° para pagá-las.

– Quem não tem dívidas, não deve gastar todo o 13º com as festas de final de ano. É importante poupar parte do valor. Não há uma regra para isso, depende de cada pessoa. Mas guardar 30% já é uma boa meta.

– Se tem dinheiro para poupar, converse com o gerente da sua conta para ver qual a melhor aplicação.

– Se optar por usar o 13º para fazer compras, se pergunte: eu realmente preciso do que estou comprando?

– Se você está pensando em comprar eletrodomésticos ou móveis, por exemplo, uma boa alternativa é não comprá-los agora. Guarde o dinheiro e espere as liquidações pós-Natal ou de janeiro.

Fonte: professor do curso de Ciências Econômicas da UCS Moisés Waismann e especialista em finanças Antonio De Julio

Veja também

    NoticiasMarketing

    Em busca do melhor ponto comercial

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Lajeado recebe a FBV Talks para debater o futuro do presente no varejo

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Café com Lojistas apresenta o significado do varejo e dicas do que está em alta ...

    Veja mais
    Noticias

    Reunião de Diretoria Ampla debate temas jurídicos relevantes ao comércio

    Veja mais